facebook pixel code

Você já tentou, inúmeras vezes, tirar foto da Lua, mas o resultado é sempre um grande borrão. Você tem ideia de por que isso acontece?

Bom, vamos aproveitar esta segunda-feira, com 2019 já à plena carga, e te fazer mais uma daquelas perguntas “importantíssimas”, que esta época do ano – em que todos
stão mais tranquilos – permite: você sabe por que a Lua fica pequena nas fotos?

Você já tentou, inúmeras vezes, tirar foto da Lua, mas o resultado é sempre um grande borrão. Você tem ideia de por que isso acontece?

14

JAN

Opa...

Parou para pensar na relevância da questão, não foi?

Pois bem, você quis aproveitar os festejos da virada de ano e fazer AQUELA foto do céu, coberto de fogos de artifício espocando e com a Lua como coadjuvante, certo? A olho
nu estava uma pintura. Só que, na foto, o corpo celeste sai como um borrão.

Tentou outras vezes e aconteceu a mesma coisa... Decepção!

Por que isso acontece?

Especialistas contam que, atualmente, a grande maioria dos celulares e câmeras não profissionais têm lentes próprias para cenas grandes e cheias de elementos (o que não é o
caso da Lua no céu).

Chamado de grande-angular, esse sistema de lentes tem um ângulo de visão maior do que o do olho humano, portanto suas fotos capturam uma área maior do que a que
conseguimos ver.

Tá...Chega mais que a gente te explica melhor.

Há, pelo menos, dois fatores que influenciam no resultado da imagem capturada pelas lentes das câmeras dos celulares.
 
Um é a superexposição (câmeras utilizam um medidor de luz no modo automático para tentar encontrar o melhor equilíbrio para o quadro). O recurso é eficiente, porém, não
inteligente: ele não identifica os objetos fotografados e faz uma média do que está capturando.

Contam professores de fotografia que registros noturnos da Lua – geralmente – têm muito mais céu escuro em seu enquadramento. Na avaliação do sistema dos celulares está
'faltando luz' (visto que a cena é essencialmente escura). Resultado? A câmera tenta clarear tudo.

Outro motivo é a superdistância observada entre a Lua e a Terra, uma média de 384 mil km (logo ali!).

O percurso é equivalente a 25 mil maratonas completas de São Silvestre (15 km) ou 550 mil desfiles nos 700 metros da Passarela do Samba da Marquês de Sapucaí, no Rio de
Janeiro.

Para ficar ainda mais “realizável” aí na sua cabeça, pense em um carro de Fórmula 1. Para sair daqui e chegar até a Lua, ele precisaria manter – constante – o recorde de
velocidade mundial (372.6 km/h, segundo o "Guinness")....por mais de 40 dias.

Ou seja...é loooongeee!

Por isso, a Lua saiu borrada nas suas fotos de fim de ano. Entendeu?


[Fonte: https://noticias.uol.com.br]