facebook pixel code

Homens também podem ter câncer de mama. Demora na procura por ajuda médica reduz chances de cura

A reta de final de 2016 contou o outubro rosa e com o novembro azul, campanhas de prevenção e combate aos cânceres de mama, para mulheres, e de próstata para os homens.

04

JAN

O que pouca gente pode saber, mas acontece com preocupante incidência, nós, da Faculdade Redentor, vamos abordar agora: homens também podem ter câncer mama.

É a neoplasia mamária e o problema, hoje, atinge cerca de 1% da população masculina. É muita gente.

Um levantamento realizado pela Unicamp, em 2013, trouxe dados que valem como boa amostragem: em um total de 2100 doentes atendidos na instituição - entre janeiro de 2005 e dezembro de 2009 - doze deles (ou 0,57%) eram homens com neoplasia mamária.

Especialistas contam que, em geral, as doenças mamárias masculinas têm caráter benigno, porém, o problema adquire contornos bem mais perigosos, visto que os homens costumam demorar a procurar ajuda médica. Entre a detecção do nódulo e a marcação - propriamente dita - da consulta, eles deixam passar de quatro a dezoito meses!

Isso gera atraso no diagnóstico, tendo impacto - direto - no avanço do estágio clínico, logo, reduzindo as chances de cura da doença.

Mas como identificar a presença da neoplasia mamária?

Vamos lá: em geral, os tumores de mama masculinos apresentam-se como um nódulo que é palpável.

Diante de um deles, a recomendação é procurar - o mais rápido possível - por ajuda médica.

O tratamento segue os mesmos protocolos de tratamento do câncer de mama feminino, inclui procedimento cirúrgico e pode ser complementado com quimioterapia (neoadjuvante ou adjuvante), radioterapia e ainda, se indicada, hormonioterapia.

Fica a recomendação da Faculdade Redentor aos homens: prestem atenção à saúde! Cuidem-se!

[Fonte: Veja.com]