facebook pixel code

Gravidez após os 50 anos aumenta no Brasil e partos com essa característica já são quase um por dia

Comprovação da Ciência: a melhor idade para engravidar é entre 17 e 25 anos.

Gravidez após os 50 anos aumenta no Brasil e partos com essa característica já são quase um por dia

07

OUT

No entanto, as demandas do cotidiano, o casamento mais tarde e, por vezes, o foco na profissão, vem fazendo com que cada vez mais mulheres passem a pensar em filhos só perto do 50 anos.

Impossível? Improvável? Não mais.

Dados do Ministério da Saúde apontam que, entre 2007 e 2016, o número de mães depois dos 50 cresceu 37% (de 261 para 358, com uma média de quase um parto por dia).

O número pode até parecer pequeno, mas mostra forte tendência de aumento de casos de busca pela maternidade tardia.

E a reprodução assistida é elemento fundamental para que tal sonho se realize.

Por um curto período de tempo, o Conselho Federal de Medicina (CFM) chegou a vetar a fertilização in vitro para mulheres com mais de 50, mas essa proibição caiu em 2015 diante do aumento da demanda.

Qual o motivo dessa revisão de postura?

Pesou o fato de as mulheres estarem cada vez mais saudáveis, vivendo por mais tempo. Diante de tal realidade, inquestionável, por que tirar delas a chance de serem mães?

O maior entrave para a gravidez pós-50 diz respeito aos óvulos (quanto mais velha a mulher estiver, pior a qualidade do óvulo). Deve ser avaliado, também, o fato de que, com a menopausa, a mulher para de produzir estes óvulos, o que torna remota a chance de gravidez natural

É aí que entra a tecnologia com a possibilidade de congelar óvulos (quando for mais jovem) ou ainda de recorrer à ovodoação (quando recebe o óvulo de doadora mais jovem, com características físicas similares).

Especialistas contam que o útero não envelhece na mesma velocidade que os óvulos, portanto, se a mulher tiver útero saudável e saúde em dia, suas chances de engravidar giram em torno de 60%.

[Fonte: Exame.com]