facebook pixel code

USP vai à Antártica e pesquisa no continente gelado registra bactérias que impedem o desenvolvimento de vários tipos de câncer

Se te pedíssemos para estabelecer um ponto de conexão entre a Antártica e os variados tipos de câncer, o que você diria?

USP vai à Antártica e pesquisa no continente gelado registra bactérias que impedem o desenvolvimento de vários tipos de câncer

03

NOV

Uhmm, tá difícil de achar o denominador comum?

Então vem cá que a gente vai te dar uma excelente notícia, vinda diretamente de Piracicaba, no interior de São Paulo!

É que uma pesquisa da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz registrou compostos anticancerígenos em bactérias encontradas em gramíneas do continente gelado.

No estudo, os referidos compostos revelaram-se eficientes para impedir o desenvolvimento de tumores como o glioma (cerebral), de mama, próstata e outros seis tipos de câncer.

Não é incrível?

Quem poderia imaginar! 

A linha de pesquisa buscou espécies vegetais resistentes a ambientes extremos, como as plantas que sobrevivem a altas ou baixas temperaturas.

O autor do feito, o pesquisador Leonardo José Silva, integrante do Programa de Pós-graduação em microbiologia Agrícola da Esalq, explicou o que fez com que fosse buscar alternativas para conter o avanço do câncer em terras tão longínquas:

“A Antártica foi o último continente a ser descoberto, é uma região isolada de tudo, onde tem pouquíssima influência do homem, quase intocado, e que foi pouco estudado ainda. Então a gente decidiu procurar algo novo por lá.”

Bom, só podemos agradecer aos pesquisadores e torcer para que a pesquisa avance ainda mais, certo?

Os pacientes acometidos pelo câncer agradecem!


[Fonte: G1 // Piracicaba e Região]