facebook pixel code

Educação Física Aplicada a Grupos Especiais

Pós-Graduação Carga Horária: 360 h Modalidade: Presencial

Área de Conhecimento: Educação Física

Apresentação:
Considerando o mercado de trabalho atual da Educação Física, centrado no não formal, mais especialmente nas atividades em academia, bem como a ênfase pela qualidade e legitimidade surgida pós regulamentação da profissão de Educação Física e instalação do Conselho Federal de Educação Física, acredita-se que a especialização em Educação Física Aplicada a Grupos Especiais, seja de grande importância neste momento.

Objetivo:

Disciplinas:

1. Empreendedorismo Aplicado à Educação Física – Como ser um Personal Trainer de sucesso? (20 horas)
a. Introdução ao marketing:
i. Porque estudar marketing e como ele pode ser aplicado no meu dia-a-dia;
b. Como meu público compra?
i. Entendendo o comportamento de compra do meu paciente.
c. Posicionamento:
i. Como meus clientes me enxergam?
d. Definindo quem realmente é meu público:
i. Traçando o perfil de quem realmente eu quero atender.
e. Análise do processo de venda e conquista de clientes:
i. Atrair;
ii. Converter;
iii. Relacionar;
iv. Analisar.
v. Como dar os primeiros passos: a conquista dos seus primeiros clientes.
f. Estratégias para gerenciar sua carteira de cliente:
i. Criação;
ii. Estabilização;
iii. Renovação.
g. Como alcançar uma excelência no seu trabalho dentro de uma sala de academia:
i. Qual a importância de conquistar tal excelência?
ii. O que o sua equipe e seus clientes esperam de você?
iii. Torne-se diferenciado em sala.

2. Avaliação Física-Funcional e Semiologia Aplicada ao Exercício Físico (20 horas)
a. Anamnese (investigação clínica):
i. Avaliação médica:
• Liberação / pré-participação.
ii. Entrevista:
• Sintomatologia;
• Interpretação de exames;
• Classificação de risco e patologia de base.
b. Avaliação morfofuncional:
i. Composição corporal;
ii. Alterações posturais.
c. Avaliação de aptidões físicas:
i. Aptidões cardiorrespiratórias;
ii. Aptidões cardiometabólicas.

3. Anatomia e Fisiologia Aplicadas ao Movimento (20 horas)
a. Anatomia do Sistema Muscular:
i. Conceitos básicos;
ii. Tipo de músculos;
iii. Funções dos músculos;
iv. Componentes anatômicos do musculo estriado esquelético;
v. Classificação morfológica dos músculos estriados esqueléticos.
b. Fisiologia muscular:
i. Fibra muscular;
ii. Células satélites;
iii. Retículo sarcoplasmático;
iv. Miofibrila e miofilamento;
v. Mecanismo molecular da contração muscular.
c. Ativação do musculo estriado esquelético:
i. Cortex motor;
ii. Motoreunônio;
iii. Sinapses;
iv. Unidade motora;
v. Potencial de ação;
vi. Processo de excitação-contração.
d. Expressão mecânica e tipologia muscular:
i. Resposta a um estímulo;
ii. Geração e aumento da força;
iii. Relação de angulo, largura e força muscular;
iv. Diferentes tipos de fibras musculares: miotipologia.
e. Recrutamento e classificação de unidade motora.

4. Adaptações ao Treino de Musculação: Hipertrofia e Período Neural (20 horas)
a. Adaptações morfológicas:
i. Modificação da secção muscular;
ii. Hipertrofia das fibras musculares; 
iii. Hipertrofia e proliferação de miofibrilas;
iv. Hiperplasia;
v. Outras adaptações morfológicas.
b. Adaptação nervosas:
i. SNC;
ii. SNP.

5. Biomecânica e Cinesiologia na Musculação e no Exercício (20 horas)
a. Bases Biomecânicas na Musculação:
i. Análise biomecânica;
ii. Montagem de programas de treinamento de força através das bases biomecânicas;
iii. Dores e sua interferência na biomecânica humana;
iv. Lei do equilíbrio;
v. Lei do conforto;
vi. Lei da economia.
b. Detecção de lesões:
i. Deficiências da ativação muscular - aparecimento de lesões;
c. Cinesiologia Aplicada na Musculação
i. Modelo cinesiológico;
ii. Avaliação da força:
• Mito sobre a força;
• Relação entre a força e estabilidade;
iii. Rigidez;
iv. Stiffness;
• A flexibilidade;
• Controle motor.
d. Estabilização lombopélvica.

6. Exercício Físico e Hipertensão (20 horas)
a. Epidemiologia;
b. Fisiopatologia;
c. Complicações de saúde causadas pelo diabetes;
d. Prevenção e tratamento:
i. Farmacológico;
ii. Alimentar;
iii. Mudança de estilo de vida.
e. Prescrição de exercício físico;
f. Cuidados durante o treinamento;
g. Efeitos do treinamento:
i. Agudos e crônicos.

7. Exercício Físico e Diabetes (20 horas)
a. Epidemiologia;
b. Fisiopatologia;
c. Complicações de saúde causadas pelo diabetes;
d. Prevenção e tratamento;
e. Prescrição de exercício físico;
f. Cuidados durante o treinamento;
g. Efeitos do treinamento.

8. Mulher e Exercício Físico (20 horas)
a. Capacidade de performance;
b. Biomecânica;
c. Efeitos hormonais;
d. Impactos na puberdade;
e. Impactos na fertilidade;
f. Esporte e gravidez;
g. Esporte e menstruação.

9. Fisiopatologia do Sistema Cardiovascular (20 horas)
a. Anatomia e fisiologia cardíaca;
b. Artérias e veias;
c. Coração do atleta;
d. Insuficiência cardíaca;
e. Morte súbita;
f. Noções básicas de eletrocardiograma;
g. Benefícios do exercício físico ao sistema cardiovascular;
h. Reabilitação / Retreinamento;
i. Cuidados na prescrição do exercício físico.

10. Urgência e Emergência no Exercício Físico e Primeiros Socorros no Esporte (10 horas)
a) Emergências clínicas:
i. Sistema de acionamento de emergência;
ii. Eventos cardíacos;
iii. Parada cardiorrespiratória – PCR;
iv. Epilepsia – Convulsão;
v. Hipoglicemia;
vi. Distúrbios causados pelo calor.
b) Emergências traumáticas:
i. A sequência de atendimento a vítima politraumatizada;
ii. Traumatismo crânio-encefálico e raquimedular ;
iii. Técnicas de transporte em prancha longa;
iv. Imobilizações de membros em casos de fraturas, luxações e entorses;
v. Objetos cravados;
vi. Hemorragias.
c) Sessão prática:
i. Reanimação cardiopulmonar – RCP;
ii. Uso do desfibrilador externo automático (DEA);
iii. Imobilização e transporte com talas e prancha longa;
iv. Uso de colar cervical.

11. Fisiopatologia do Sistema Respiratório (20 horas)
a. Anatomia e fisiologia do sistema respiratório;
b. Asma;
c. DPOC;
d. Obesidade e problemas respiratórios;
e. Apneia do sono;
f. Interação coração-pulmão;
g. Prevenção e tratamento de doenças pulmonares;
h. Cuidados na prescrição do exercício físico.

12. Nutrição Aplicada à Saúde e ao Exercício (20 horas)
a) Conceitos importantes em Nutrição Esportiva;
b) Gasto energético nos exercícios;
c) Cálculo das necessidades energéticas;
d) Dieta e atividade física;
e) Nutrientes x Exercícios;
f) Carboidratos;
g) Índice glicêmico;
h) Lipídeos;
i) Proteínas;
j) Vitaminas;
k) Minerais;
l) Água
m) Reposição hidroeletrolítica;
n) Desidratação;
o) Termorregulação;
p) Recomendações nutricionais e prescrições dietéticas na atividade física;
q) Suplementação:
i. Whey Protein;
ii. Creatina;
iii. AMB;
iv. Beta alanina;
v. Malto e dextrose.

13. Anatomofisiologia do Sistema Neuroendócrino e suas Interações no Exercício Físico (20 horas)
a. Sistema neuroendócrino;
b. Estudo da estrutura e função do sistema neuroendócrino; 
c. Princípios gerais da ação hormonal / Regulação hormonal integrando; 
d. Fisiopatologia das doenças neuroendócrinas na população, estabelecendo as correlações entre os aspectos anatomopatológicos, fisiopatológicos, nutricionais e farmacológicos; 
e. Correlações clínicas.

14. Metodologia do Trabalho Científico – Educação Física Baseada em Evidências (10 horas)
Objetivo da disciplina:
• Capacitar o aluno a buscar informações científicas baseadas em evidências pautadas na prática da Exercício Físico e Treinamento Desportivo de forma segura e confiável, pois este conhecimento que dará base para a conduta e planejamento alimentar do cliente/paciente; 
• Capacitar o aluno para saber selecionar trabalhos científicos, ler, interpretar e reunir as informações de acordo com o objetivo da 'pesquisa'.
• Auxiliar o aluno a criar estratégias para reunir as informações pesquisadas de forma organizada e de fácil acesso, como o fichamento. 
Ementa da disciplina:
a) Princípios gerais do pensamento científico. 
b) Operar os sistemas de busca eletrônica e bibliográfica de artigos científicos. 
c) Análise crítica das fontes de informação em saúde: as comunicações orais, os sites eletrônicos, as apostilhas, os livros textos, os artigos científicos; 
d) Metodologia de pesquisas em saúde e no esporte; 
e) Princípios do conhecimento epidemiológico;
f) Identificação de métodos científicos qualitativo e quantitativo; 
g) Leitura e interpretação de métodos e resultados em estudos científicos.

15. Treinamento para Doenças Neurodegenerativas, Cerebrovasculares e Trauma Raquimedular (20 horas)
a. Doença de Alzheimer:
i. Sintomas;
ii. Causas;
iii. Fisiopatologia;
iv. Epidemiologia;
v. Diagnóstico;
vi. Prevenção;
vii. Tratamento:
• Medicamentoso;
• Alimentação;
• Exercício físico.
b. Mal de Parkinson:
i. Etimologia; 
ii. Causas;
iii. Sinais e sintomas;
iv. Epidemiologia;
v. Tratamento:
• Medicamentoso;
• Psicológico;
• Alimentação;
• Exercício físico.
vi. Prognósticos.
c. Esclerose lateral amiotrófica:
i. Etimologia;
ii. Sintomas e evolução da doença;
iii. Tratamento e prognóstico:
• Exercício físico;
• Medicamentos
• Alimentação.
d. Neuroplasticidade e exercício físico pós do sistema nervoso central:
i. Epidemiologia da lesão medular e acidente vascular cerebral;
ii. Neuroplasticidade:
• Espontânea;
• Provocada.
iii. Exercícios passivos;
iv. Exercícios ativos;
v. Estratégias e foco no exercício contra resistência;
vi. Cuidados importante durante o controle e execução dos exercícios;
vii. Treino de propriocepção e coordenação pós lesão;
e. Importância e execução do treino de marcha.

16. Exercício Físico e Envelhecimento (20 horas)
a. Fisiologia do envelhecimento:
i. Definição do envelhecimento;
ii. Efeitos fisiológicos do envelhecimento;
iii. Aptidão física em função do envelhecimento;
iv. Efeito da retomada do envelhecimento.
b. Locomoção terrestre - generalidades e modificações induzidas pelo envelhecimento sadio e patológico:
i. Biomecânica da marcha:
• Análise cinemática da marcha;
• Análise dinâmica da marcha;
• Custo energético da marcha.

17. Treinamento Funcional para Grupos Especiais (20 horas)
a. Origem do treinamento funcional;
b. Treinamento funcional versus treinamento tradicional;
c. Por que utilizar o treinamento funcional?
d. Benefícios e valências do treinamento funcional;
e. Objetivo da aplicação treinamento funcional;
f. Treinamento funcional em diferentes faixas etárias: crianças, adultos e idosos;
g. Equipamentos/acessórios utilizados para desenvolver os exercícios funcionais;
h. Bases neurológicas e a biomecânica do treinamento funcional;
i. Core training;
j. Músculos do core;
k. Posicionamento;
l. Fortalecimento do core;
m. Prescrição do treinamento funcional;
n. Conceito de carga de treino;
o. Sessão de treinos;
p. Circuito funcional;
q. Exemplos de exercícios de treinamento funcional para hipertensos; cardiopatas; idosos, crianças, obesos e lesões osteomioarticulares.

18. Treinamento de Força para Grupos Especiais (20 horas)
a. Programa de treinamento de força para diabéticos;
b. Emagrecimento;
c. Atletas hipertensos;
d. Iniciação do processo de trabalho:
i. Avaliação;
ii. Prognóstico;
iii. Planejamento do treinamento. 
e. Realização do treinamento e evolução da performance. 
f. Estruturação do processo de treinamento de força para grupos especiais: 
i. Atletas;
ii. Cardiopatas
iii. Diabéticos;
iv. Gestantes;
v. Mulher
vi. Criança;
g. Terceira idade.

19. Bases Fisiológicas e Metodológicas do Emagrecimento (20 horas)
a. Evolução da obesidade e sobrepeso:
i. Contextualização histórica, prevalência e causas;
ii. Metabolismo energético.
b. Modelos usados para prescrição de atividades com o objetivo de redução ponderal:
i. Modelo metabólico:
• Contextualização, bases teóricas, uso da zona de queima de gordura (Fatmax) e análise crítica.
ii. Modelo matemático:
• Contextualização, bases teóricas, uso do balanço calórico e análise crítica.
c. Análise crítica do modelo aeróbio – por que não emagrecemos?
d. Uma nova abordagem - proposta para elaboração e compreensão de treinos mais eficientes:
i. Uso do treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT)
ii. Bases teóricas – por que funciona?
iii. Aplicações práticas – como prescrever treinos mais eficientes.
e. Musculação e emagrecimento
f. Análise crítica dos modelos mais usados
g. Proposta para elaboração e compreensão de modelos mais eficientes.

TCC – O aluno poderá escolher entre os dois modelos:
1) Artigo científico;
2) Relatório da prática profissional.

Pré-requisitos:
Nível Superior Completo

Público Alvo:
Profissionais de Educação Física que desejam trabalhar como Personal Trainer com Grupos Especiais.

COORDENADOR

Prof. MSc. Raphael Soares

Prof. MSc. Raphael Soares

Graduado em Educação Física pela Faculdade de Educação Física e Desportos da Universidade Federal de Juiz de Fora (2007), Pós-Graduado em Fisiologia do Exercício e Grupos Especiais pela Faculdade Estácio de Sá de Juiz de Fora. Possui mestrado em Master of Science (MSc) in Human Movement and Sports: Adapted Physical Activities and Health, University of Lausanne, Switzerland (2011). Membro fundador e ex-delegado da Associação Suíça de Profissionais em Atividade Física Adaptada, ex-coordenador metodológico do Swiss Recovery Center. Tem experiência na área de prescrição e controle de exercício físico para grupos especiais, treinamento de alto rendimento para atletas de Trampolim, e nos últimos anos, vem desenvolvendo um trabalho em recuperação de pacientes com lesão medular. Atualmente é Personal Trainer, Professor e Coordenador de Curso de pós-graduação e Supervisor de Ensino no IESPe/FacRedentor.

PROFESSOR