Rio deve reciclar parte de lixo do Sambódromo

Uma solução ecológicamente correta foi encontrada para lidar com os cinco dias de desfiles das escolas de samba no Sambódromo do Rio de Janeiro que produziram cerca de 250 toneladas de lixo.
Rio deve reciclar parte de lixo do Sambódromo

21

Nesse período de desfiles a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) recolheu 250,07 toneladas de resíduos.

No último dia de desfiles foram removidos um total de 26,930 toneladas.

De acordo com a Comlurb, os resíduos são levados para a Estação de Transferência do Caju, na zona portuária da cidade, onde catadores da cooperativa que atuam nessa unidade vão separar parte do material para reciclagem.

O restante será levado para a Central de Tratamento de Resíduos (CTR Rio), em Seropédica, região metropolitana do Rio.

Esse procedimento recebeu o nome de Programa Lixo Zero, que atua com 235 equipes em toda a cidade nos acessos aos blocos, nas áreas de concentração e dispersão, aplicou 216 multas na terça-feira de carnaval, sendo 138 por urina em espaço público.

icone do twitter