facebook pixel code

Estudo italiano revela que molécula do vinho e da maçã contribui para tratamento da leucemia

Leucemia. De acordo com a definição científica, um tipo de câncer que ocorre na formação das células sanguíneas e dificulta a capacidade do organismo de combater infecções. 

Estudo italiano revela que molécula do vinho e da maçã contribui para tratamento da leucemia

09

NOV

Doença que, quando descoberta, costuma gerar susto e tristeza, a leucemia já vem sendo – há muito tempo – tratada pela Medicina por meio de diversos recursos como quimioterapia, imunoterapia, radioterapia, transplante de medula óssea ou a associação de diferentes tratamentos. A novidade na área é que o CNR (Conselho Nacional de Pesquisa da Itália) revelou – recentemente – que a quercetina (molécula com propriedades antioxidantes naturais) pode ser utilizada como complemento de medicamentos no tratamento da leucemia. 

E onde a quercetina pode ser encontrada? 

Em alimentos como as alcaparras, a maçã, o vinho tinto, o chá verde, a cebola e o aipo.

“Pela primeira vez, demonstramos que a quercetina é eficaz contra as células tumorosas de pacientes que sofrem de leucemia linfoide crônica”, disse Gian Luigi Russo, pesquisador responsável pelo estudo. Ele completou contando que “a molécula é capaz de bloquear o processo de transformação de uma célula normal em um tumor, ou de inverter se ele já estiver em curso".

O pesquisador só fez uma objeção em relação à referida molécula. Ele contou que a quercetina é bem tolerada pelo corpo, mesmo em doses elevadas, mas, que é preciso adotar os devidos cuidados em relação a seu uso.

Assim como todo excesso na vida, o de antioxidantes (incluindo a quercetina), absorvido, livremente, sob a forma de suplementos dietéticos – por pessoas saudáveis e sem controle médico – pode se tornar muito perigoso para a saúde.


[Fonte: www.sonutricao.com.br] 


icone do twitter