facebook pixel code

Brasileiros utilizam muito sal nas refeições. O excesso é prejudicial à saúde

Cerca de quatro anos atrás, você deve lembrar do burburinho, em alguns estados brasileiros instituiu-se uma lei que retirava os saleiros das mesas dos restaurantes.

Brasileiros utilizam muito sal nas refeições. O excesso é prejudicial à saúde

23

MAR

O motivo era a intenção do Estado de frear o consumo exagerado de sal por parte dos brasileiros. Na ocasião, a reclamação foi geral. Dizia-se que governos não poderiam interferir, dessa forma, nas vidas dos cidadãos.

Bom, exagero do poder público ou não, a verdade é que o brasileiro médio consome – sim – sal em excesso. Fazemos uso do sal quase duas vezes o limite máximo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é cinco gramas por dia.

Você já parou para observar o quanto de sal ingere todos os dias?

É interessante observar tal quantia.

Por quê?

Porque, segundo Eduardo Augusto Fernandes Nilson, coordenador-geral substituto de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, “o sal é o principal fator de risco dietético que existe no mundo, incluindo Brasil. Ele tem uma associação direta com doenças cardiovasculares mediadas por hipertensão. E para prevenir esses problemas é preciso reduzir o consumo, seja na adição em alimentos na preparação, seja na observação daqueles escondidos nos processados e ultraprocessados". 

É, os inocentes grãozinhos de sal que comemos, quando acrescentados em excesso na comida podem contribuir – muito – para quadro de hipertensão, que obriga o coração a exercer um esforço maior do que o normal a fim de que o sangue seja distribuído corretamente no corpo.

Diagnosticada, no Brasil, em cerca de 33 milhões de pessoas (desses, 80% são atendidos na rede pública de saúde), a hipertensão é um dos principais fatores de risco para a ocorrência do acidente vascular cerebral, enfarte, aneurisma arterial e insuficiência renal e cardíaca.

"O sal é um problema de saúde pública e isso representa muito custo para o Sistema Único de Saúde (SUS) e para sociedade, visto que pessoas adoecem, deixam de trabalhar / produzir e morrem prematuramente", revela Nilson.

Como resolver essa questão?

Se você não consegue diminuir o sal consideravelmente pode substituí-lo por temperos frescos, sabia?

Uma das dicas do Guia Alimentar para a População Brasileira para reduzir a quantidade de óleo e sal no preparo do feijão, por exemplo, é evitar o uso de carnes salgadas no cozimento e optar por quantidades generosas de cebola, alho, louro, salsinha, cebolinha, pimenta, coentro e outros temperos naturais, assim como outros alimentos – como cenoura e vagem – que acrescentam sabor, aroma e mais nutrientes à preparação.

Tudo anotado aí?

Muita atenção com o seu consumo de sal!


[Fonte: UOL // Viva Bem] 


icone do twitter