Será que o DNA influencia nas decisões do amor?

E se a sua história de amor começasse a partir de uma cuspida – sua e do (a) consorte – em um tubo de ensaio, hein? 

Será que o DNA influencia nas decisões do amor?

07

JUN

Mais Black Mirror, impossível, não?

Pois é, a despeito do que – a princípio – parecia ser só invenção futurista de séries disponibilizadas por streaming, a verdade é que a união de casais através de DNA já está acontecendo na vida real.

Exatamente! 

Já são inúmeros os sites que oferecem a solteiros uma via rápida para encontros com "química garantida". E ainda apresentam a casais já estabelecidos a oportunidade de testar sua "compatibilidade genética".

Mas como isso acontece?

Para chegar a esses resultados, é feita uma raspagem com cotonete da parte interna da bochecha do cliente. A partir do material coletado, são analisados os genes do chamado sistema antígeno leucocitário humano, ou HLA, na sigla em inglês.

"O HLA é um gene importante principalmente para o sistema imunológico humano", disse Tamara Brown, uma das fundadoras da GenePartner, empresa suíça que propaga seu serviço de testagem genética como um importante adicional para a união de casais. 

Brown completou que “quanto maior a diversidade de HLAs numa pessoa, melhor sua resposta imune".

Ainda segundo a representante da empresa, mamíferos do sexo masculino e feminino reconhecem esses HLAs porque eles querem produzir filhotes mais resistentes a doenças. Tudo é resultado de um princípio, simples, que precisa funcionar para que a sobrevivência da espécie seja garantida.

Interessante, não?

É, mas Tamara Brown ressalta que é muito importante atentar para a necessidade dos dois lados envolvidos em uma aproximação amorosa. 

Quais lados?

Um deles é a compatibilidade biológica – ou o que chamamos de química – o outro é a compatibilidade social.

Ah, sim...E quem – ainda – não sabe que para um relacionamento ter sucesso, ambos os lados citados têm de funcionar bem? Nem precisa de genética para saber disso, não?

Enfim...E você, recorreria ao DNA para encontrar sua alma gêmea?

Com essa, nem Fábio Jr. sonharia...


[Fonte: G1 // Ciência e Saúde] 


icone do twitter