É preciso entender quais são os caminhos que te direcionam à obesidade

Quando você se propõe a perder peso, fazer dieta, treinar, passar vontade e após dias sobe na balança e não perdeu nenhum quilinho.

É preciso entender quais são os caminhos que te direcionam à obesidade

03

E aí você chega na conclusão que é pensar para engordar?


Você não está sozinho. As taxas de sobrepeso e obesidade estão atingindo níveis alarmantes em todo o mundo. É ligar a TV, ler, para ver as estatísticas mostrando que a população da Terra ganhou peso.


E com a obesidade, enfermidades como diabetes tipo 2, pressão alta, problemas cardiovasculares e até alguns tipos de câncer.

Mas gente! Porque?


A Ciência responde. É fato que nossos corpos são programados para conservar energia. Antigamente, os suprimentos de alimentos eram limitados, armazenar energia é essencial tanto para a sobrevivência quanto para a reprodução.

Hoje em dia, temos um organismo programado para aumentar o apetite e reduzir o gasto energético ao menor sinal escassez de energético.

Então, não seria fácil resolver o problema reduzindo a ingestão de calorias e aumentando a intensidade do exercício?

É mais complicado do que parece.

Pesquisas realizadas nos últimos 20 anos sugerem que a causa do ganho de peso excessivo pode estar em nossas mentes.



O cérebro humano que controla o que é chamado de balanço energético (a subtração entre quanto comemos e quanto consumimos).


O que isso significa?


Quando comemos mais do que precisamos, os neurônios que suprimem a fome e aumentam o gasto de energia são ativados, e os que estimulam o apetite e a economia de energia são inativados.


A chave para a obesidade é que seu desenvolvimento - como dissemos acima - está intimamente relacionado a mudanças importantes na função e atividade dos neurônios mencionados.

Para você ter uma ideia melhor: é como se o cérebro humano tivesse passado por uma reprogramação. Para que? Leve o seu equilíbrio energético para o próximo nível.

Desta forma, novamente, qualquer perda de peso mínima é compensada por um aumento no apetite, junto a uma redução dramática no gasto de energia.


Se você não se identificou com o que leu e está aí, concluindo que não precisa dessas informações porque não está acima do peso, vale o alerta: prevenir é melhor que reparar.


[Fonte: https://saude.abril.com.br/blog] 


icone do twitter