Enxaguante bucal: por que devemos usar o produto com moderação

Seja para completar a higiene, ou apenas para refrescar o hálito, o uso de enxaguante bucal faz parte do dia a dia de muitos brasileiros. No entanto, embora pareça não haver riscos ou diferenças entre os modelos, o especialistas ouvidos explicaram que certas substâncias presentes em alguns enxaguantes bucais podem ser prejudiciais à saúde, principalmente em circunstâncias não especificadas. 


Enxaguante bucal: por que devemos usar o produto com moderação

15

Além disso, todos estes, quando usados em excesso, promovem um desequilíbrio do pH da área, o que é prejudicial.  Tal como acontece com todas as coisas em excesso, o enxaguante bucal não deve ser usado em excesso da quantidade recomendada. Isso pode causar um desequilíbrio do pH da saliva, que "mata" as bactérias boas da boca que impedem a entrada de outros microrganismos que podem causar doenças.

Sobre o seu uso especialista em implantes e restaurações destacam que só é usado como auxiliar de limpeza após escovação e fio dental. A frequência recomendada é de no máximo duas vezes ao dia. No entanto, além da overdose, os enxaguantes bucais (também chamados de enxaguatórios bucais) podem trazer outros riscos, dependendo das substâncias que carregam. Especialistas explicam que eles estão associados principalmente a pessoas que bebem álcool e não devem ser usados.


Fonte: [https://oglobo.globo.com]


icone do twitter