facebook pixel code

Para recuperar pacientes, veterinários precisam atentar à prescrição desnecessária de antibióticos

São muitos os casos de animais que chegam para veterinários – por exemplo – com problemas dermatológicos, contaminação por bactérias após cirurgia ou ainda com diversos órgãos afetados por conta da resistência aos antibióticos.

Para recuperar pacientes, veterinários precisam atentar à prescrição desnecessária de antibióticos

15

AGO

A relutância dos organismos à ação de tais medicamentos tem atingido, de acordo com pesquisas, níveis altíssimos (e muito perigosos) no mundo todo.

Novos mecanismos de estagnação diante das mais diferentes drogas estão surgindo e se espalhando pelo planeta. O risco? Estamos diante de flagrante ameaça à capacidade de tratar doenças infecciosas comuns. 

Falando o português mais claro, tratamentos – antes muito rápidos e eficazes – vão ficando impossíveis, visto que os antibióticos se tornam menos ativos, ou seja, não fazem efeito algum.

Como contornar este problema?

Especialistas alertam que é preciso adotar ação urgente.

Qual?

É preciso parar de prescrever antibióticos de forma exagerada.

Se tal medida não for adotada o quanto antes, avançaremos – a passos largos – em direção a tempos pós-antibióticos, nos quais infecções comuns e ferimentos leves poderão, efetivamente, levar o animal ao óbito. 

É preciso – ainda segundo experts no assunto – usar tais medicamentos apenas quando forem necessários para tratar uma condição médica.

Além disso é mais do que conveniente que se preste a devida atenção para saber se antibiótico “a” ou “b” é o mais indicado para o quadro que se apresenta.

Completam a lista dos cuidados necessários: administrar a dose correta (com a frequência e duração adequadas e por via apropriada); conversar com os tutores sobre a resistência bacteriana, orientar e certificar-se do entendimento sobre o fornecimento de medicações (dose, frequência, duração de tratamento); solicitar exames e realizá-los com o intuito de melhor direcionamento de tratamento e relatar infecções resistentes a antibióticos à vigilância.


[Fonte: blog.inpulse.vet.br]