facebook pixel code

Pesquisa revela que modificação em célula faz com que obesos sejam mais propensos a ocorrência de infecções

A obesidade – doença considerada como epidêmica no mundo – acaba de ser associada a mais um mal, além dos já conhecidos hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus tipo 2, distúrbios do colesterol ou triglicerídeos, doenças cardiovasculares, insuficiência cardíaca, apneia do sono e vários tipos de câncer: as doenças infecciosas.

Pesquisa revela que modificação em célula faz com que obesos sejam mais propensos a ocorrência de infecções

13

ABR

Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP – e publicado na revista Scientific Reports, do grupo Nature – indicou que o fenômeno está ligado a alterações nos neutrófilos, ou seja, nas primeiras células de defesa a reagir diante de um agente invasor.

Tal conclusão foi resultante do projeto de doutorado do bioquímico Wilson Mitsuo Tatagiba Kuwabara, realizado sob orientação da bióloga Tatiana Carolina Alba-Loureiro.

Kuwabara disse que – até então – não se tinha ideia do porquê obesos e diabéticos são mais vulneráveis, por exemplo, ao agravamento de doenças infecciosas.“Encontramos a resposta ao investigar, nos neutrófilos, o que ocorre com a proteína TLR4 quando esta reconhece a toxina LPS (lipopolissacarídeo, principal componente da membrana externa de bactérias gram-negativas) dos patógenos invasores”, disse o cientista.

 Ainda segundo Kuwabara, os neutrófilos de obesos tiveram uma resposta prejudicada ao LPS, ou seja, são tolerantes a ele.

“Essa tolerância pode ser a explicação para as maiores taxas de morte em indivíduos obesos e diabéticos em decorrência de infecções por bactérias”.

Interessante, não?


[Fonte: http://www.asbran.org.br]