facebook pixel code

Cresce número de mulheres maduras que adotam recursos perigosos, como dietas severas, para manter o corpo

E aí chegaram os 40.

Cresce número de mulheres maduras que adotam recursos perigosos, como dietas severas, para manter o corpo

11

JUL

E aquela mulher, que sempre foi sedentária, viu acender o sinal vermelho:

– Peraí...cadê meu corpitcho de 20 anos? Espera aí que eu já vou resolver isso já!

E começa então uma obsessão por adiar o envelhecimento – não raro – lançando mão de ferramentas perigosíssimas como restrição alimentar severa e o uso indiscriminado de suplementos alimentares. 

Especialistas alertam que vem crescendo – assustadoramente – o número de mulheres maduras (ou seja, que chegam aos 40) que apresentam sinais de ortorexia e vigorexia, dois transtornos que tem origens parecidas.

A ortorexia pode ser retratada como sendo uma obsessão composta por “dieta detox”, “dieta antioxidante”. Quem sofre do problema se auto impinge restrição de uma série de alimentos, sem razão alguma (como o glúten, por exemplo, ainda que não ocorra intolerância). Além disso, essas pessoas ainda exageram no consumo de suplementos. É tão sério, mas tão sério, que já se teve notícias de pacientes que perderam os rins por conta da quantidade excessiva de vitaminas ingeridas.

Assustador, não?

Pois é.

Mas e a vigorexia?

Trata-se de doença psicológica caracterizada por uma insatisfação constante com o corpo, o que leva as pessoas à prática exaustiva de exercícios físicos.

É cada vez mais comum ver mulheres maduras acometidas pelo problema.

Calma, não estamos aqui dizendo que não se deve praticar atividade física, muito pelo contrário! Especialmente para quem passou dos 40, a musculação é imprescindível, fundamental para evitar a perda muscular.

Cuidar do corpo por pura estética, por vaidade, também não consiste em nenhum pecado. É muito saudável, faz bem, inclusive, para a alma.

Porééém, o que não se pode é achar que – com um volume absurdo de exercícios e uma dieta austera, rigorosa – vai ser possível voltar no tempo e ter, de novo, a silhueta de 20 anos atrás.

Não dá! Não é saudável! O corpo tem uma “memória”. Ele “sabe” que passou dos quarenta.

E já que estamos falando – especificamente – de mulheres, o conselho vai para elas: ao deixar o contato social e restringir o espaço vivencial para não sair da “dieta perfeita”, elas estão se isolando. Este é o sinal bem evidente de que algo vai mal, algo está – bem – errado e é hora de procurar ajuda profissional. O mais rápido possível.

Diante de quadros como os que descrevemos, o ideal – dizem psiquiatras – é ter acompanhamento multidisciplinar, com nutricionista, médico e psicólogo


[Fonte: UOL // Viva Bem] 


icone do twitter