facebook pixel code

Exercício físico em excesso pode gerar gordura no fígado, aponta estudo da USP / Unicamp

Não constitui, exatamente, uma novidade dizer que a prática regular de exercícios deveria ser algo recorrente na vida de todos, certo? 

Exercício físico em excesso pode gerar gordura no fígado, aponta estudo da USP / Unicamp

06

SET

Já ouvimos falar sobre isso. E muito!

É, mas, no extremo oposto dos que precisam ser convencidos da necessidade de mexer o corpo – para garantir a saúde – estão aqueles que precisam ser, praticamente, tirados “à força” da rotina de exercícios.

São os que exageram na hora de praticar a atividade física e esquecem de fazer os intervalos para descansos que – dependendo do tipo de atividade e do organismo do indivíduo – precisam ser de 24 a 48 horas.

Como todo excesso, o de atividade física também faz mal.

Pesquisadores brasileiros (da USP Ribeirão Preto e da Unicamp de Limeira) descobriram que treinos muito intensos podem provocar alterações no coração, fígado, músculos e sistema nervoso.

É, não é brincadeira, não!

A pesquisa – feita com camundongos – indicou que ignorar os limites do corpo na hora de malhar gera consequências  que vão desde a dificuldade para captação de glicose pela célula até o aumento substancial de gordura no fígado.

Gordura no fígado?

Isso mesmo! Os cientistas notaram que, para compensar a falta de glicose (“combustível” usado pelo corpo durante a atividade física), o fígado passou a compensar esta ausência acumulando a substância.

O perigo é que o processo, além de acumular gordura no fígado, ainda resultou em inflamações no órgão, quadro que pode desencadear obesidade e diabetes.

Olha o efeito contrário aí!

Muita atenção na hora de malhar! Praticar atividade física é fundamental, maaasss, sem exagero!


[Fonte: Veja.com]